Skip navigation

Category Archives: Vandalismo

Canavial em Borebí-SP é destruído em mais uma ação do “Abril Vermelho”

Anúncios
Coluna do Augusto Nunes

“A reforma agrária vem sendo feita de maneira ordenada, dentro da Constituição, e eu não vejo nenhum índice de aumento de violência. O que ocorre é a mobilização de movimentos sociais, em determinadas circunstâncias de uma maneira mais arrojada. Quando eles violam a lei e a Constituição, os Estados têm que operar”.

Tarso Genro, candidato a governador do Rio Grande do Sul e a Secretário-Geral do MST, prova ambulante de que no Brasil qualquer um pode ser ministro da Justiça, informando que invasão de terras é reforma agrária, que o direito de propriedade agora é inconstitucional, que a destruição de laranjais, laboratórios e máquinas agrícolas é uma forma de manifestação pacífica, que organização criminosa é movimento social, que furto qualificado é sinal de arrojo e que, quando a coisa desanda, o problema é dos governos estaduais.

Fonte: http://migre.me/iThS

Dilma Mentiras do Curriculo

Dilma disse que era mestre pela Unicamp no site da Casa Civil e na Plataforma Lattes: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma Rouseff não obteve o título de mestre, confirmou a Unicamp.
Dilma disse que era doutoranda pela Unicamp  no site da Casa Civil e no Sistema Lattes : MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma não é doutoranda, pois teve sua matrícula cancelada em 2000, por falta de inscrição, e acabou jubilada pela Unicamp.

Dilma disse na Plataforma Lattes que obteve o mestrado da Unicamp com uma dissertação sobre “Modelo Energético do Estado do Rio Grande do Sul”: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma não apresentou dissertação nem obteve mestrado na Unicamp.

Dilma disse que não concluiu o mestrado porque assumiu a Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma só assumiu o cargo de secretária da Fazenda em 1986, três anos depois de ter deixado o curso de mestrado, segundo informou oficialmente a Casa Civil.
Dilma disse que não sabia das informações mentirosas em seu currículo: MENTIRA!
A VERDADE:
Pelo menos em duas ocasiões, quando foi entrevistada pelo programa Roda-Viva, da TV Cultura, Dilma ouviu impassiva as mesmas mentiras sobre seu currículo acadêmico  publicadas pelo site da Casa Civil e pela Plataforma Lattes.
Dilma disse que foi presa por crime de opinião: MENTIRA!
A VERDADE:
Como lembra o jornalista Elio Gaspari, “presos e condenados por crime de opinião foram o historiador Caio Prado Júnior e o deputado Chico Pinto, Dilma Rousseff militou em duas organizações que, programaticamente, defendiam a luta armada para instalar um Governo Popular Revolucionário (Colina, abril de 1968) ou um Governo Revolucionário dos Trabalhadores, expressão da Ditadura do Proletariado (VAR-Palmares, setembro de 1969).”
Dilma disse que não participou da luta armada, que não foi terrorista: MENTIRA!
A VERDADE:
O também ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues testemunha que uma das funções de Dilma era indicar o tipo de armamento que deveria ser usado nas ações e informar onde poderia ser roubado.  “Só em 1969 ela organizou três ações de roubo de armas em unidades do Exército, no Rio”.A própria Dilma que contou, em entrevista: “Eu e a Celeste [Maria Celeste Martins, hoje sua assessora] entramos com um balde; eu me lembro bem do balde porque tinha munição. As armas, nós enrolamos em um cobertor. Levamos tudo para a pensão e colocamos embaixo da cama. Era tanta coisa que a cama ficava alta. Era uma dificuldade para nós duas dormirmos ali. Muito desconfortável. Os fuzis automáticos leves, que tinham sobrado para nós, estavam todos lá. Tinha metralhadora, tinha bomba plástica. Contando isso hoje, parece que nem foi comigo”.
Dilma disse que não tinha feito um dossiê sobre gastos pessoais da dra. Ruth Cardoso e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: MENTIRA!
A VERDADE:
Dilma informou, em um jantar com trinta empresários, que o governo estava colecionando contas de FHC consideradas incriminatórias. O jantar ocorreu um mês antes da ministra tentar justificar como “banco de dados” o dossiê produzido pela Casa Civil.

Sobre o que mais mente Dilma Rousseff?

Fonte: http://www.gentequemente.org.br

Do G1:
 
Um vídeo revelado pela Polícia Civil revelou a intenção o objetivo dos invasores da fazenda Cutrale, no interior paulista, em outubro do ano passado. Estão presos sete suspeitos de comandar as invasões na região e há mandado de prisão contra mais 13 pessoas. “No ano passado, nós fizemos uma outra ocupação, que vocês lembram, né? Quem estava aqui lembra. Outros que não estavam são importantes. Fizemos esta aqui a quarta ocupação. E agora nós viemos aqui para pelo menos dar prejuízo para eles”, afirma um homem, no vídeo divulgado pela polícia. Ele é um dos chefes do movimento dos sem-terra (MST) na região centro-oeste paulista.Segundo a polícia, a gravação foi feita em outubro do ano passado, quando 250 famílias invadiram a fazenda da empresa Cutrale, a maior produtora de suco de laranja do país. A ameaça foi cumprida. Os invasores destruíram máquinas, saqueram casas e derrubaram mais de 12 mil pés de laranja. O prejuízo passou de R$ 1,3 milhão.

“Esse vídeo vem corroborar, vem fortalecer, a existência de formação de bando ou quadrilha, a existência do dolo, o propósito dos autores em danificar algo em propriedade alheia”, afirmou o delegado Benedito Antonio Valencise.

Nove pessoas foram presas nesta terça-feira (26) pela Polícia Civil, entre eles o ex-prefeito da cidade de Iaras, que é presidente municipal do Partido dos Trabalhadores, e a mulher dele, que é vereadora do PT.

O diretório do partido disse em nota que apóia a ampla defesa e o direito ao acompanhamento jurídico dos integrantes dos movimentos sociais que foram presos.

A polícia firma ter outras informações feitas por integrantes do MST. Para não atrapalhar as investigações, o material não foi divulgado. As imagens serão analisadas pela perícia criminal. Os vídeos vão ajudar na identificação de outros suspeitos.

Blog
Reinaldo Azevedo – quinta-feira, 28 de janeiro de 2010 | 6:07

Lula discursou anteontem no tal Fórum Social Mundial, aquela reunião internacional de Mafaldinhas & Remelentos. Segundo ele, a América Latina vive “um extraordinário momento” em razão de uma série de governo “progressistas”, que “estão dando passos importantes para a consolidação da democracia”.

Não estava se referindo a Honduras, que evitou um golpe de estado, depôs um aloprado, realizou eleições limpas e deu posse ao vitorioso. Afinal, o Brasil ainda não reconheceu nem o processo eleitoral. Mas certamente incluía a Venezuela na sua fala, onde, segundo diz, há “democracia até demais”. Para ele, existe um grande “preconceito” contra Hugo Chávez.

Milhares de estudantes e opositores do governo marcham nas ruas de Caracas contra a já instalada ditadura chavista. Há três dias, o Beiçola tirou do ar seis emissoras de TV. Duas pessoas morreram em confrontos de rua. Uma juíza está na cadeia porque decidiu libertar um preso político, detido havia dois anos sem julgamento e sem direito a habeas corpus. Chávez criou um órgão encarregado de punir juízes que tomam decisões de que ele discorda. A miséria é crescente no país, mas o maluco continua com sua política aloprada de expropriações. E ameaça: quanto mais protestam, mas ele expropria!

Lula certamente se referia à Bolívia e ao Equador, países em que a imprensa também está sob crescente controle do governo e de seus aliados “bolivarianos”. E fatalmente terá incluído a Nicarágua de Daniel Ortega, que fraudou há pouco tempo a Constituição para poder se reeleger. Não tenho dúvida de que a Argentina dos Kirchners, com a vocação do casal para exercer os Três Poderes em Um, também compõe este fantástico painel de governos “progressistas”. Já o Chile, que acaba de eleger Sebatián Piñera, não deve entrar na lista…

O mais encantador dessa fala é que ela deve ser tomada rigorosamente pelo avesso. Os países da América Latina em que a democracia corre riscos são justamente aqueles que Lula considera governados por “progressistas”. O mais “progressista” deles, Cuba, é nada menos do que uma tirania. Mas algo me diz que essa gente começou a aprodrecer.

Fonte: http://migre.me/hV50

SANDRO VILLAR – Agencia Estado: http://migre.me/hOXY

PRESIDENTE PRUDENTE 

Nove militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foram presos hoje em Borebi e Iaras (SP). Outros dez conseguiram fugir. As prisões ocorreram durante uma megaoperação que a Polícia Civil batizou de Operação Laranja, com a participação de 150 policiais e 42 viaturas.

Eles são acusados pela Justiça de invadir a fazenda da Cutrale em 26 de outubro do ano passado, quando cerca de sete mil laranjeiras foram destruídas. Entre os presos estão o ex-prefeito de Iaras, Edílson Granjeiro Xavier (PT), de 64 anos, a vereadora Rosemeire Pandarco de Almeida Serpa (PT), e o marido dela, Miguel Serpa, apontado como um dos líderes do MST no centro oeste paulista e de ter comandado a invasão.

Na residência do casal, a polícia encontrou dois revólveres. Uma espingarda também foi apreendida em outra casa. Além das armas, foram apreendidos agrotóxicos e fertilizantes em quantidades não divulgadas. Alertados sobre a chegada da polícia, outros dez militantes estão foragidos.

A prisão temporária dos envolvidos foi decretada pelo juiz Mário Ramos dos Santos, do Fórum de Lençóis Paulista. Ao todo, o magistrado expediu 19 mandados de prisão, busca e apreensão. O juiz listou os crimes: formação de bando ou quadrilha, invasão de terra, furtos e danos materiais.