Skip navigation

Category Archives: Direitos Humanos

“Tarso Genro sob proteção” Do leitor Sérgio Oliveira A Dilma, que agora desmentiu, teria se referido, de forma indireta, ao Serra, que teria “fugido”, ao se exilar, ao passo que ela ficou aqui, enfrentando a ditadura; ela, agora, informa que não foi neste sentido que falou, mas seus “petralhas” continuam a afirmar que foi isto mesmo. Mas vejamos o que segue abaixo, que deu n Blog do jornalista Hugo Studart, em 2 de março de 2009: Tarso Genro sob proteção secreta da família Ustra Recebi de um amigo milico história nada edificante sobre nosso ministro da Justiça Tarso Genro. Republico na íntegra: “Quando ocorreu a revolução de 64, Tarso Genro, então militante de esquerda, temendo ser preso, fugiu para Rivera, no Uruguai, em atitude de auto-exílio. Depois de algum tempo, verificando que ninguém o procurava, resolveu fazer contato com o Dr. José Augusto Brilhante Ustra, irmão do hoje conhecido coronel Ustra, conceituado advogado em Santa Maria, RS. Dr. Augusto era amigo do pai de Tarso e foi, pessoalmente, buscar o filho do amigo de volta ao Brasil. Chegando em Porto Alegre, o advogado e o jovem Tarso procuraram o Coronel Athos Teixeira, sogro do Dr. José Augusto e então secretário de Segurança. Este garantiu que Tarso Genro não seria preso. Posteriormente, sob orientação e proteção do Dr. José Augusto Ustra e do coronel Athos, Tarso entrou para o Curso de Preparação de Oficiais da Reserva de porto Alegre (CPOR/PA), chegando ao posto de tenente R/2 de Artilharia”. Eis uma dica de pauta para meus colegas jornalistas.

Que tal ?

Será verdade ?

 * Sérgio Oliveira é de Charqueadas-RS

Fonte: http://migre.me/yHKE

DILMA E OS CABOCLOS

Por Marco Massar 18/04/2010 às 19:19
A democracia é o único sistema de governo que distingue os homens dos animais, e os livres dos escravos. Trair a democracia é trair a dignidade humana. Dilma Roussef e seus comparsas-ministros lutavam para implantar no Brasil uma ditadura socialista como a cubana, salvou-nos o Exército brasileiro. Em seus esconderijos jamais se achou uma bandeira do Brasil; mas somente da URSS, China e Cuba. Isso fala por si.

Qual é o mérito em tentar trocar uma ditadura de direita por uma ditadura de esquerda, onde o povo sairia na pior, sem direito as suas propriedades e liberdades, vivendo apenas para sustentar a rica elite partidária que não trabalha (a Nomenklatura), como se viu em todas as ditaduras socialistas da História? Ou alguém acha que os cursos de guerrilha feitos por Zé Dirceu, Dilma e comparsas nas ditaduras comunistas como Cuba e URSS, eram para capacitá-los a implantar uma Democracia de livre mercado no Brasil?

Dilma, Vanucchi e Franklin Martins não contam ao nosso povo, que na ideologia deles não há liberdade de imprensa, de ir e vir, de propriedade, de escolha pessoal, ou tolerância para diferenças, desde a de opinião e até de sexualidade. Os milhares de gays, opositores e religiosos executados em massa nos porões socialistas, são verdades Históricas inegáveis.

O socialismo sempre fracassará, pois obriga até que se sonhe o sonho deles, e o sonho de cada individuo é único. Os milhões de ucranianos mortos de fome por Stalin por não aceitarem o domínio socialista, clamam até hoje. Igualmente aos 2,5 milhões mortos por Pol Pot no Cambodja, após a vitória comunista no Vietnã. Lembram?

O motivo alegado por Pol Pot: “Eles não aceitaram nossa forma de pensar!” (Pnon Pen, 1979.).

Dilma, FHC, Tarso Genro, Vanucchi, Franklin Martins, Lula e os demais, seguem a mesma ideologia socialista e escravizante de Pol Pot e Stalin; hoje convenientemente disfarçados em pseudo-democratas, como Lula, até chegar a hora certa.

Como dizem os caboclos da Mata Atlântica paulista: “A onça pia o macuco, mas pia feio”. Os brasileiros, como milhões de macucos vão caminhando alienados; sem distinguirem o “piado feio” das onças que os aguardam…

Email:: mmassar@uol.com.br

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva está usando a tragédia ambiental que alcançou as principais cidades do Estado do Rio de Janeiro para uma manobra escandalosa: conseguir, da Câmara e do Senado, aval para a concessão de créditos eleitoreiros em favor de órgãos do Executivo e empresas estatais através de Medida Provisória.

Blog do Noblat  http://migre.me/xPB7

Olavo de Carvalho – 19 de maio de 2008

Chamar o sr. Tarso Genro de terrorista e mentiroso, como o fez o deputado Jair Bolsonaro no memorável dia 15 de maio, é uma simples questão de rigor histórico.

Quanto ao primeiro desses qualificativos, o ministro, que participou ativamente de uma organização dedicada a atentados e homicídios – sob a desculpa de lutar contra uma ditadura que ele chamava de assassina mas colocando-se a serviço de outra ditadura incomparavelmente mais assassina -, continua alardeando sua fidelidade ao marxismo, doutrina explicitamente terrorista. Por definição, o porta-voz de uma doutrina terrorista é terrorista, mesmo depois que a idade e as circunstâncias o dispensaram da parte mais grosseira e suja do serviço.

Se o sr. Genro afirma que as práticas terroristas já não se justificam no presente quadro, é manifesto que tem em vista a mera questão da oportunidade tática, excluindo in limine qualquer condenação moral ao terrorismo em si; e é igualmente claro que mesmo sua restrição tática só se aplica ao Brasil, não a outros países da América Latina, de vez que até o momento nem ele, nem o governo que ele representa, nem o partido que os colocou no poder abjuraram jamais da declaração de apoio aos métodos terroristas das Farc, assinada em 2002 no Foro de São Paulo pelo sr. Lula da Silva, declaração que, para cúmulo de cinismo, rotulava de “terrorista”, isto sim, o combate movido contra a narcoguerrilha pelo Exército da Colômbia.

A qualificação de “ex-terrorista”, que a mídia adotou para embelezar a folha corrida de indivíduos como o sr. Genro, é artificiosa e descabida como o seria a de “ex-assassino”. Uma organização terrorista, por definição, não se compõe só dos paus-mandados que colocam bombas em locais onde elas inevitavelmente matarão transeuntes inocentes; nem só dos pistoleiros que armam tocaias para balear gente pelas costas; nem só dos heróicos assaltantes que, de metralhadora em punho, fazem tremer pálidas funcionárias de bancos. Uma organização terrorista é uma hierarquia camuflada e sutil que sobe desde esses bas-fonds até os altos postos da administração, da mídia e da diplomacia, de onde se estende sobre ela o manto protetor das meias-palavras e das desconversas, exatamente como os agentes políticos do Foro de São Paulo em Brasília fazem com as Farc, o MIR chileno e outras gangues de assassinos, seqüestradores e narcotraficantes. Se um soldado é dispensado da batalha, mas removido para posto administrativo, ele não foi para a reserva: está na ativa. Não é um ex-soldado, é um soldado. Se um terrorista já não tem de dar tiros e soltar bombas, mas continua mesclado à rede política que dá proteção ao terrorismo, não é um ex-terrorista: é um terrorista. Servindo ao governo do Foro de São Paulo, o sr. Genro é uma das peças fundamentais da mais imensa máquina terrorista que já existiu no continente. E é claro que por dentro ele se orgulha disso, desprezando e odiando aqueles que vêem aí algum motivo de desonra. Quando ele foi obrigado a ouvir calado as palavras verazes do deputado Bolsonaro, foi de cabeça baixa, mas não de vergonha, e sim de raiva, que ele se submeteu a esse humilhante ritual democrático do qual, como membro ilustre da Nomenklatura, estaria dispensado em Cuba ou na Coréia do Norte. E a raiva mal contida explodiu logo no dia seguinte, fazendo desabar sobre a pessoa do coronel Brilhante Ustra todo o insaciável desejo de vingança, todo o ressentimento insano que os terroristas de Brasília têm contra os militares que preferiram continuar servindo ao Brasil em vez de alistar-se nas tropas revolucionárias de Cuba.

Quanto ao qualificativo de mentiroso, qual outro caberia ao representante de um governo que, tentando ceder um Estado inteiro da Federação aos poderes internacionais, o faz não somente contornando como um ladrão furtivo a autoridade soberana do Congresso, mas usando como pretexto “científico” para a doação um laudo antropológico falso, assinado com nomes de pessoas que nem mesmo sabiam da sua existência?

O pronunciamento do deputado Bolsonaro só pecou por incompletude, que a brevidade explica. Primeiro, não é só o ministro Genro que é terrorista e mentiroso. O governo Lula está repleto deles. Segundo, esses indivíduos não são só terroristas e mentirosos: são traidores do Brasil, mercadores da soberania nacional. Subiram ao poder para doar Roraima aos globalistas, a Petrobrás à Bolívia, Itaipu ao Paraguai, as favelas do Rio às Farc e, por toda parte, terras produtivas à Via Campesina. Nenhum brasileiro lhes deve respeito. O simples fato de alguém como o general Heleno, o deputado Bolsonaro ou até um zé-ninguém como eu lhes dirigir a palavra já é honra que não merecem. Não digo que o lugar deles seja a cadeia, onde há delinqüentes recuperáveis. Nem o cemitério, onde repousam defuntos virtuosos. Nem o lixo, que pode ser reciclado. Não, não há no mundo um espaço apropriado para eles. Talvez somente o inferno os abrigasse. Foi por isso que criaram o Foro de São Paulo. Cada um deles é agora o homem certo no lugar certo.

Usar de todos os meios para derrubar a ditadura e convocar eleições gerais livres e abertas a todos os partidos.

Seria patriótico e democrático, se não fosse mentira. O objetivo da luta armada no Brasil era trocar uma ditadura por outra, baseada na revolução cubana. Zé Dirceu, Dilma e Tarso Genro se orgulham disto. Cegos de fé, juventude e generosidade, sonhavam com uma ditadura legitima, do bem, porque do povo, do proletariado. Também acreditei nisto, como muitos jovens oprimidos e ingênuos, até que a razão, os fatos e a história me convenceram do engano.

Mas uma loba guerrilheira nunca vai admitir que, além de um erro estratégico e político, a sua luta e o sacrifício de tantos companheiros eram para instituir uma ditadura socialista no Brasil. Dirá que foi pela liberdade do povo. A mesma que os cubanos têm hoje? Ninguém ousa lhe perguntar.

Muitos dos seus ex-companheiros de armas, graças à democracia, ocupam postos importantes no governo, e reconhecem que a luta armada foi um erro de avaliação, talvez por excesso de juventude e generosidade. Mas ela nunca reconhecerá, nem que a vaca tussa. Ela não abandonou o barco nem fugiu da luta, não avaliou que seu sacrifício e de tantos companheiros poderia se voltar contra eles, como uma greve de fome, e até atrasar o processo de redemocratização. Mas, para versões bolcheviques de velhos hippies de rabo de cavalo, parece que o sonho não acabou.

Cordeiro em pele de lobo, Lula, o raposão, jamais sonhou com uma cubanização do Brasil. Cresceu e se desenvolveu como sindicalista por sua inteligência e capacidade de negociação. Loba em pele de loba, ela se acostumou a planejar e a mandar — e obedecer ao chefe — no que deve ser competente: é condição indispensável a uma gestora de gestores.

Lula também tem um lado lobo, quando esbraveja e bravateia nos palanques, mas deve as maiores conquistas do seu governo, e sua popularidade, à sua formação e aptidão de grande negociador, que o levou a harmonizar partidos, corporações e interesses conflitantes para o sucesso de seus programas econômicos e sociais. Mas a loba ama a luta.

Agentes levaram viaturas e chaves de algumas salas da cadeia 

Guilherme A.Z. Pulita | guilherme.pulita@pioneiro.com 

Agentes penitenciários lotados na Penitenciária Regional de Caxias do Sul abandonaram o presídio durante a madrugada desta sexta-feira. A debandada aconteceu logo após a chegada de PMs deslocados de Porto Alegre para assumir o controle da cadeia.

A intervenção teria sido determinada pela própria governadora Yeda Crusius (PSDB) depois que vídeos com agressões contra presos foram divulgados pelo site do Pioneiro, na tarde de quinta-feira.

PMs devem permanecer na unidade até o final do treinamento de 35 novos agentes na própria cadeia. Os servidores devem chegar a Caxias na próxima segunda. De acordo com a titular da Vara das Execuções Criminais (VEC), Sonáli da Cruz Zluhan, o ambiente no presídio é de tranquilidade.

Pela primeira vez desde que foi ocupado, em outubro de 2008, os detentos estão jogando futebol no pátio para o banho de sol. Os apenados não podiam praticar esportes para não danificar as cercas de proteção.

— Os agentes foram embora, levaram todas as viaturas e deixaram os computadores com as senhas bloqueadas. Os PMs ainda estão se inteirando das rotinas da cadeia. Mas está tudo calmo, os presos estão mais satisfeitos com a presença da Brigada — afirma Sonáli.

Na madrugada de hoje, em seu twitter, o governador José Serra (PSDB-SP) postou a música “Bloco na rua”, de Sérgio Sampaio, um sucesso do início dos anos 70 em plena ditadura militar.

Disse tê-la recebido depois da entrevista concedida, ontem, a Luiz Datena, da TV Bandeirantes, onde pela primeira vez assumiu publicamente sua candidatura à sucessão de Lula.

Fonte:  Blog do Noblat no twitter

O presidente Lula virá ao sul Bahia, no dia 26, para inaugurar a 1° trecho do Gasene, e poderá ser recebido sob protestos dos produtores de cacau, que estão insatisfeitos com a lentidão do Programa de Aceleração do Crescimento criado pelo governo federal para o setor (o PAC do Cacau).

De Mônica Tavares, de O Globo:

O assessor especial da Presidência da República, Cezar Alvarez, que participou nesta terça-feira do seminário “Tele.síntese: Desafios da Banda Larga”, criticou a possibilidade do Democratas pedir a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre denúncia de que o ex-ministro José Dirceu recebeu R$ 620 mil do principal grupo empresarial privado que será beneficiado com a reativação da Telebrás. Mas o assessor disse que não leu as denúncias publicadas na edição desta terça-feira do jornal “Folha de S. Paulo”.

– Respeito às prerrogativas do Legislativo, só espero que não seja mais um elemento para fugir da discussão da necessidade que o Brasil tem de banda larga ou no limite para fugir das discussões dos problemas que este próprio partido tem em outras searas.

Leia mais em:   Assessor da Presidência critica proposta de criação de CPI do Caso Telebrás

A disputa eleitoral costuma deixar os políticos com a memória fraca. Mas a gente está aqui, alguns de nós ao menos, para lembrar o que eles esquecem. Dilma, pelo visto, participou de três organizações terroristas — Colina, VAR-Palmares e VPR — para cuidar de assuntos lítero-musicais. Ou para escrever o diário “A Moça e Seus Problemas”. O grupo tinha “críticas” aos assaltos a banco? Os banqueiros até podem achar bacana… Já em matéria de seqüestro, assassinato, execuções sumárias, bem, aí não havia crítica nenhuma. Acho chato ter de lembrar isso, mas lembro. Seguem as pessoas que as organizações a que Dilma pertenceu mataram.

PESSOAS ASSASSINADAS PELA VPR OU COM SUA PARTICIPAÇÃO
– 26/06/68-  Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP
– 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil – RJ
– 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP
– 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP
– 09/05/69 – Orlando Pinto da Silva – Guarda Civil – SP
– 10/11/70 – Garibaldo de Queiroz – Soldado PM – SP
– 10/12/70 – Hélio de Carvalho Araújo – Agente da Polícia Federal – RJ
– 27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ

PESSOAS ASSASSINADAS PELA VAR-PALMARES OU COM SUA PARTICIPAÇÃO
– 11/07/69 – Cidelino Palmeiras do Nascimento – Motorista de táxi – RJ
– 24/07/69 – Aparecido dos Santos Oliveira – Soldado PM – SP
– 22/10/71 – José do Amaral – Sub-oficial da reserva da Marinha – RJ
– 05/02/72 – David A. Cuthberg – Marinheiro inglês – Rio de Janeiro
– 27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ

PESSOAS ASSASSINADAS PELO COLINA OU COM SUA PARTICIPAÇÃO
– 29/01/69 –  José Antunes Ferreira – guarda civil-BH/MG
– 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – major do Exército Alemão – RJ
– 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – civil – RJ

A lista completa com todas as pessoas assassinadas pelas esquerdas:

http://migre.me/kJcn

Quem disse que estamos numa democracia?

Que temos liberdade de expressão e de manifestação política?

Essa condenação aos dois estudantes é apenas o ínicio!

Podem ir se preparando!

Não é à toa que querem o país desarmado!

Assim fica mais fácil implantar um regime totalitário!

 A DITADURA NOVA CHEGOU!

  A condenação de dois estudantes da Universidade de São Paulo (USP) à prisão por causa de uma manifestação política, em dezembro de 2006, foi a manifestação mais violenta da escalada da repressão nas universidades brasileiras. Fatos similares têm acontecido em várias universidades, mas esse caso se destaca pela total arbitrariedade, e pelo fato de envolver a mais importante universidade do país, onde há poucos anos a polícia militar nem sequer intervinha.

Daniel Sene e Ilana Tschiptschin, ambos estudantes de arquitetura, foram detidos pela Guarda Universitária quando pintavam o asfalto em frente à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, no maior campus da USP, em São Paulo. A pichação, “Brasília 17”, era um chamado para um protesto contra a corrupção do governo Lula, que aconteceria no dia 17 de agosto na capital do país, Brasília. Como se não bastasse ter detido os estudantes, a Guarda Universitária levou-os imediatamente a uma delegacia de polícia, onde eles foram interrogados e passaram a noite numa cela.

Uma manifestação política dentro da universidade deve ser tratada como ato social legítimo pela Guarda Universitária e não como crime comum. Mas juridicamente isso torna-se ainda mais grave pelo fato de os estudantes terem pintado apenas o asfalto. Como não pintaram prédios da USP, Daniel e Ilana não podem ser acusados por “depredação”, e foram acusados por um crime “estético-ambiental”. Ou seja, a única justificativa jurídica possível para a condenação dos dois é que eles tornaram a universidade mais “feia”. Ora, isso é uma clara restrição à liberdade de manifestação política, e equivale a dizer que se manifestar politicamente na universidade é crime!

 

 Policial com a garra de ferro contra os estudantes na Venezuela

A Guarda Nacional de Hugo Chávez passou a utilizar agora a terrível garra de ferro, horrendo instrumento de tortura, para reprimir os estudante que se manifestam pacificamente em favor da liberdade de expressão em vários pontos do território venezuelano, depois que o ditador fechou a RCTV Internacional e mais um punhado de emissoras de televisão, ao mesmo tempo em que prossegue na expropriação da propriedade privada.

 Os estudantes anunciaram que continuarão com os protestos não-violentos até que a democracia seja restaurada.

Algumas imagens que mostram como funciona uma ditadura comunista botocuda. A grande grande imprensa brasileira simplesmente continua fazendo pouco caso desse fato. Por certo, para não incomodar Lula que está doente e Chávez, o psicopata, não é apenas amigo do “Presidente” do Brasil, mas apóia a terrorista comuno-fascista Dilma Rousseff.

É mais importante para o jornalismo “companheiro” o Forum Comunista Botocudo que se realizou em Porto Alegre, destacando matérias sobre as declarações do notório botocudo português Boaventura Souza Santos, como também há destaque para o João Stédile, o comandante do MST, organização comunista paramilitar fora-da-lei.

Portanto, estas fotos incomodam o poder petralha que apóia publicamente o ditador Hugo Chávez, cabo eleitoral de Dilma Rousseff, enquanto Lula afirma sem cessar que há democracia até demais na Venezuela.

NÃO SE ILUDAM!!!
O BRASIL SERÁ A VENEZUELA AMANHÃ.

Mais imagens no blog: http://libertadpreciadotesoro.blogspot.com/

O DCE da UFRGS estuda medidas jurídicas para suspender o aumento das passagens em Porto Alegre. O motivo para tal medida é a informação de que conselheiros só receberam as planilhas de custo 24 horas antes de a proposta entrar em pauta no Conselho Municipal de Transporte Urbano.

“Até agora, o próprio DCE não teve acesso às planilhas de custos, que supostamente embasam o aumento para quase R$ 2,50″, diz Renan Artur Pretto, presidente do DCE da UFRGS.

“Fechamos uma parceria com a PS Júnior, dos alunos da Escola de Administração da UFRGS, para fazer uma análise detalhada da planilha de custos para que possamos emitir nossa opinião. A falta da documentação para fazer tal análise, porém, nos impede de contribuir com sugetões e despreza a opinião dos estudantes da UFRGS”, conclui, frisando que o aumento que incidirá nas passagens significará menos dinheiro no bolso do estudante para investimento em livros, atividades culturais e outras despesas relacionadas com a sua educação e cultura.

Fonte: http://migre.me/iTjK

O presidente Lula assinou (provavelmente sem saber o que é de novo) em dezembro um projeto de lei, onde tira todo o poder das forças armadas do Brasil, fortalecendo o Ministro da Defesa.

Passada a crise com os militares depois que o governo recuou e desistiu de apurar a tortura e os desaparecimentos ocorridos durante a ditadura (1964/1985), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá enfrentar um novo round de desgaste com as Forças Armadas. Um projeto de lei complementar, enviado pelo governo em meados de dezembro ao Congresso, tira poder dos militares, fortalecendo o papel do Ministro da Defesa, que passa a ter autoridade para decidir sobre promoções e compras no Exército, Marinha e Aeronáutica.

“É uma lei que propõe dar musculatura ao Ministério da Defesa”, resume o deputado José Genoino (PT-SP), que será relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. “É uma nova cultura que está sendo implantada. É claro que tem uma tradição, uma história de mais de um século e isso para mudar tem resistências”, admite o petista.

A proposta, que faz parte da Estratégia Nacional de Defesa, fortalece o cargo de ministro da Defesa, que passará a ter comando operacional sobre as três Forças.

O projeto de lei encampado pelo Executivo e negociado pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, com os militares seria uma das causas para a “insubordinação” da Aeronáutica na questão da compra de 36 caças para a FAB.

Apesar de Lula ter dado demonstrações de sua preferência pelo caça Rafale, da francesa Dassault, o comando da Aeronáutica apresentou relatório preliminar com a recomendação de compra do caça Gripen NG, da empresa sueca Saab. No ranking da Aeronáutica, o Rafale ficou em último lugar.

Um dos motivos para o descontentamento da Aeronáutica foi a criação de uma secretaria única de compras para as três Forças, que passarão a ter um orçamento conjunto.

O relatório da Aeronáutica teria sido uma reação corporativa ao projeto do Executivo. “Onde há uma concentração grande de recursos financeiros, corre-se o risco do manuseio político da verba”, alerta o general Gilberto Barbosa de Figueiredo, presidente do Clube Militar.

Para ele, o projeto tem vantagens e desvantagens, mas no geral não tira o poder das Forças Armadas. “Nessa questão das promoções, por exemplo, o contato hoje é direto entre o comandante da Força e o presidente da República. Com o projeto, entra o ministro da Defesa no meio, mas continua valendo a lei para definir as promoções.”

Negociação

Presidente da Frente Parlamentar de Defesa Nacional, o deputado Raul Jungmann (PPS-PE) explica que a futura secretaria de compras vai ficar encarregada do “grosso do orçamento para a compra de material bélico, alimentação, fardamento”.

Ele observa, no entanto, que o projeto foi amplamente negociado com as Forças Armadas e que as resistências são mínimas e estariam concentradas nos militares da reserva. “Poderia haver uma reação a esse projeto se o presidente Lula não tivesse mudado do decreto dos Direitos Humanos”, completa o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa.

Ao mesmo tempo em que submete as Forças Armadas ao jugo civil do Ministério da Defesa, o projeto de lei dá poder de polícia para o Exército, Marinha e Aeronáutica, que poderão revistar pessoas, veículos, embarcações e instalações e fazer prisões em flagrante delito em operações de vigilância na fronteira. “As ideias do projeto são corretas e necessárias. O poder de polícia para as Forças Armadas é restrito, só em situações específicas”, argumenta o deputado Aldo Rebelo (PC do B-RJ).

Paralelamente às resistências de militares, o projeto deverá enfrentar dificuldades de ser aprovado neste ano eleitoral. A expectativa é que o Congresso funcione normalmente até maio. Em junho, começam as convenções para definir os candidatos e deputados e senadores iniciam a campanha para a eleição de 3 de outubro.

Querelas do Brasil – Elis Regina

Composição: Maurício Tapajós, Aldir Blanc

O Brazil não conhece o Brasil
O Brasil nunca foi ao Brazil
Tapir, jabuti, liana, alamandra, alialaúde
Piau, ururau, aqui, ataúde
Piá, carioca, porecramecrã
Jobim akarore Jobim-açu
Oh, oh, oh

Pererê, câmara, tororó, olererê
Piriri, ratatá, karatê, olará

O Brazil não merece o Brasil
O Brazil ta matando o Brasil

Jereba, saci, caandrades
Cunhãs, ariranha, aranha
Sertões, Guimarães, bachianas, águas
E Marionaíma, ariraribóia,
Na aura das mãos do Jobim-açu
Oh, oh, oh

Jererê, sarará, cururu, olerê
Blablablá, bafafá, sururu, olará

Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil

Tinhorão, urutu, sucuri
O Jobim, sabiá, bem-te-vi
Cabuçu, Cordovil, Caxambi, olerê
Madureira, Olaria e Bangu, Olará
Cascadura, Água Santa, Acari, Olerê
Ipanema e Nova Iguaçu, Olará

Do Brasil, SoS ao Brasil
Do Brasil, SoS ao Brasil

Blog
Reinaldo Azevedo – quinta-feira, 28 de janeiro de 2010 | 6:07

Lula discursou anteontem no tal Fórum Social Mundial, aquela reunião internacional de Mafaldinhas & Remelentos. Segundo ele, a América Latina vive “um extraordinário momento” em razão de uma série de governo “progressistas”, que “estão dando passos importantes para a consolidação da democracia”.

Não estava se referindo a Honduras, que evitou um golpe de estado, depôs um aloprado, realizou eleições limpas e deu posse ao vitorioso. Afinal, o Brasil ainda não reconheceu nem o processo eleitoral. Mas certamente incluía a Venezuela na sua fala, onde, segundo diz, há “democracia até demais”. Para ele, existe um grande “preconceito” contra Hugo Chávez.

Milhares de estudantes e opositores do governo marcham nas ruas de Caracas contra a já instalada ditadura chavista. Há três dias, o Beiçola tirou do ar seis emissoras de TV. Duas pessoas morreram em confrontos de rua. Uma juíza está na cadeia porque decidiu libertar um preso político, detido havia dois anos sem julgamento e sem direito a habeas corpus. Chávez criou um órgão encarregado de punir juízes que tomam decisões de que ele discorda. A miséria é crescente no país, mas o maluco continua com sua política aloprada de expropriações. E ameaça: quanto mais protestam, mas ele expropria!

Lula certamente se referia à Bolívia e ao Equador, países em que a imprensa também está sob crescente controle do governo e de seus aliados “bolivarianos”. E fatalmente terá incluído a Nicarágua de Daniel Ortega, que fraudou há pouco tempo a Constituição para poder se reeleger. Não tenho dúvida de que a Argentina dos Kirchners, com a vocação do casal para exercer os Três Poderes em Um, também compõe este fantástico painel de governos “progressistas”. Já o Chile, que acaba de eleger Sebatián Piñera, não deve entrar na lista…

O mais encantador dessa fala é que ela deve ser tomada rigorosamente pelo avesso. Os países da América Latina em que a democracia corre riscos são justamente aqueles que Lula considera governados por “progressistas”. O mais “progressista” deles, Cuba, é nada menos do que uma tirania. Mas algo me diz que essa gente começou a aprodrecer.

Fonte: http://migre.me/hV50

CARACAS
Ocupar todos os espaços dos meios de comunicação e de todas as maneiras possíveis passou a ser a principal missão dos partidários de Hugo Chávez.

Saiba mais aqui: http://migre.me/hV21

Plano Nacional da Cultura ou da Ditadura ?

 

O “outro mundo possível” que buscam os organizadores e participantes é um mundo que já foi testado e falhou por todo o planeta, com a instalação do socialismo. União Soviética, Albânia, Camboja, China, todos esses experimentaram a cartilha socialista e se dissolveram na própria incompetência. Mesmo a China, que ainda se mantém “socialista”, está cada vez mais aberta ao capitalismo, no que se compreende uma “economia socialista de mercado”.
Discutir esse “mundo possível” não cabe em pleno século XXI. O capitalismo, por mais crises que tenha enfrentado, sempre se fortaleceu e evoluiu. Ano passado, muitos ideólogos encheram a boca para dizer que “o capitalismo morreu”.

Mentira deslavada.

O mundo possível pretendido no FSM não prevê liberdade de expressão, propriedade privada, economia de mercado, progresso científico nem impresa livre.

Estou mentindo? Não.

O FSM é inútil.

Tenta discutir temas sérios como sustentabilidade disfarçado de convenção do PT e demais partidos da esquerda. Discute o atraso do mundo como salvação.

E ainda bebe milhões de reais dos cofres públicos (que na época em que PT comandava POA e RS, não tinham nem prestação de contas).

Ídolos dos foristas que já estiveram aqui:

Hugo Chávez

Que destroça dia-a-dia a Venezuela

Fidel Castro

Se Cuba fosse tão boa, por que ninguém pode sair de lá e quem tenta sair é preso?

José Bové

Que destruiu uma fazenda de transgênicos em Não-me-Toque.

João Pedro Stédile

Que comanda a maior organização terrorista da América Latina, o MST.